História


Em 1997, com músicos oriundos de diversas orquestras e embasados em repertório Barroco e Clássico, com um Quarteto de Cordas nasce a Camerata de São Paulo. Um ano depois passou a formação para Quinteto de Cordas, com a incorporação de um novo instrumento: o Contrabaixo Acústico. E, desde então passou a ampliar seu repertório incluindo diversos estilos musicais: Barroco, Clássico, Clássicos Popularizados, Temas de Filmes, Românticos, MPB, Jazz e entre outros.

Uma década depois, em 2007, a Camerata de São Paulo se une a um Quarteto de Metais, nascendo assim o grupo TRIUNFAIS.

Passando a dispor de novos instrumentos para abrilhantar ainda mais cada evento realizado. Dessa forma, nosso grupo atualmente dispõe de uma base formada por: Violinos, Cello, Contrabaixo (Acústico e Elétrico), Violão, Sax (Tenor, Alto e Soprano), Trompetes, Clarins, Trompas, Trombones, Piano, Percussão e também com vozes Femininas e Masculinas. Esclarecendo sempre que havendo a necessidade ou a pedidos dos noivos, novos instrumentos são acrescentados sendo esses interpretados por experientes músicos profissionais.

Nosso grupo é composto por músicos que atuam nas principais Orquestras de São Paulo (Teatros e Banda Sinfônica e Coral da Polícia Militar de SP), sendo esses registrados na OMB (Ordem dos Músicos do Brasil) e nunca por Freelancers.

Ampliamos assim nossos horizontes, sempre com vários estilos e formações, buscando atender a sociedade como um todo sempre com o nosso exigente padrão TRIUNFAIS em Casamentos, Aniversários, Vernissages, Formaturas, Jantares Executivos e Eventos em Geral.

Nosso exigente padrão é composto de: Comprometimento, Seriedade, Disciplina e acima de tudo Responsabilidade. Essa é a nossa linha base para qualquer evento que realizamos. Desde eventos com número de músicos reduzidos, como nos eventos já realizados em conjunto com renomadas Orquestras e Corais, dentre eles o Coral da Polícia Militar de São Paulo em casamentos de Oficiais.

Atualmente o grupo é gerenciado por Maurício Ormanji, que iniciou seus estudos musicais no ano de 1994 com renomados professores particulares. Para adquirir experiências profissionais e mercado, ingressou no conservatório Villa Lobos onde também se apresentava juntamente com a orquestra local. Em meados do ano 2000 voltou a praticar constantes estudos de trompete com professores particulares, e participar de grupos musicais para estudo. Em 2001 foi convidado para ser o 1º trompetista da Camerata de São Paulo, participando de eventos e em casamentos. E, como consequência de ótimos trabalhos realizados, foi convidado também para ser o 1º trompetista de outras orquestras como a “Da Capo” e a “Grand Finale”.